logoNova017

 

INTRANET | WEBMAIL
       aemerj@aemerj.org.br
 Av. Rio Branco 245, 20º andar
 21 2544-2561 / 21 2544-2348 
Centro  CEP - 20040-917

Destaques

Municipalismo e Ação

Prefeitos

Prefeito de Piraí Dr. Luiz Antonio participa do Seminário Confluir do Comitê Guandu/RJ

Rio de Janeiro 14/02/2020

O prefeito de Piraí e presidente da Associação dos Municípios do Rio de Janeiro, Dr. Luiz Antonio (PDT), participou, nesta quinta-feira (13), do Seminário Confluir, realizado na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (URRRJ) pelo Comitê Guandu-RJ.

Leia mais...

Prefeito de Piraí Dr. Luiz Antonio apresenta propostas de contribuição para concessão da Via Dutra

Rio de Janeiro 17/01/2019

“As passarelas são investimentos de baixo custo, mas de uma demanda social enorme”, afirma Dr. Luiz Antonio

Leia mais...

Prefeitura amplia sinal de internet gratuito em Piraí

Rio de Janeiro 30/01/2019

A equipe da Secretaria de Ciência e Tecnologia de Piraí concluiu, na última semana, a instalação do sinal de internet gratuito na praça do bairro Cacaria.

Leia mais...

Maia articula mudanças em divisão do leilão do pré-sal em favor do RJ

Rio de Janeiro 04/09/2019

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já articula mudanças na proposta da cessão onerosa assim que o texto voltar para análise dos deputados. Isso deve ocorrer com as mudanças gestadas pelo Senado.

A PEC (Proposta de Emenda à Constituição) deve ser votada nesta terça-feira (3) ou quarta-feira (4). Para o deputado, o seu estado, o Rio de Janeiro, será prejudicado com a versão em discussão no Senado. “Não é justo que o Rio de Janeiro fique com distribuição igual à dos outros estados”, disse nesta segunda-feira (2) durante almoço no Rio de Janeiro promovido pela Associação Brasileira de Relações Institucionais e Governamentais (Abrig).

O relatório de Cid Gomes (PDT-CE) enfrenta resistência de estados produtores de petróleo. Pelos critérios estabelecidos por Cid, o dinheiro do leilão do pré-sal será dividido com base no Fundo de Participação de Estados e Municípios. Dessa forma, os estados do Norte e Nordeste acabam tendo uma fatia maior.

O Ceará, estado de Cid, deve receber R$543.542.807,60. A previsão é que o Espírito Santo, outro produtor, receba menos que a metade disso (R$201.046.552,65). Rio de Janeiro também deve ficar com menos (R$332.147.232,50).

Ao se defender das críticas, o pedetista afirma que os estados do Sul e Sudeste serão os maiores beneficiados na alteração da Lei Kandir, outra proposta do pacto federativo que tramita no Senado e que trata da compensação financeira a estados exportadores.

O coordenador da bancada do Rio de Janeiro no Congresso Nacional, deputado Hugo Leal (PSD), reforça a participação do estado nos leilões do pré-sal e fala sobre se unir com outras unidades da federação prejudicadas pelo relatório do Senado.

"O RJ é o estado de quase 65% da cessão onerosa. Mas se formos para o enfrentamento vamos perder. A estratégia é trazer outros estados que não tem incidência da cobrança de ICMS [Imposto de Consumo Mercadorias e Serviços] na origem da produção de energia (petróleo e hidrelétrica). Bem como trazer para os que perdem recursos no adiamento do debate sobre a melhor distribuição da Lei Kandir", declarou ao Congresso em Foco.

Para o pessedista o critério estabelecido pelo ex-governador do Ceará teria de ser feito por meio de uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição) separada:

"Se querem fazer pelo FPM e FPE, pode até ser, desde que possamos atualizar o art. 159 da Constituição Federal e a Lei Complementar 143/2013".

No Senado ainda não se percebe uma articulação forte contra o texto de Cid Gomes. A expectativa é que a PEC seja aprovada com folga nesta semana. O senador pelo PSL do Rio de Janeiro Flávio Bolsonaro se recusou a comentar o dinheiro que seu estado deixaria de ganhar: “Não estudei, não podem botar palavra na minha boca”.

O deputado federal Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ), ex-coordenador da bancada evangélica, disse ao Congresso em Foco que as bancadas do Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo articulam mudanças ao texto de Cid quando voltar para Câmara.

No entanto, não há definição no modo como essas mudanças serão feitas. Uma possibilidade é adotar o critério da Lei Kandir na divisão das verbas do pré-sal. Essa ideia é defendida pelo Rio Grande Sul e foi trazida a Cid Gomes por meio do governador Eduardo Leite (PSDB-RS) semana passada.

Sóstenes também afirmou que os deputados de Minas Gerais estão sendo procurados para atuar contra o relatório do Senado. Minas é um estado exportador de minérios e, pelos critérios da Lei Kandir, deveria receber mais recursos.

Fique por dentro

Links úteis

Facebook